Meia 92

quarta-feira, 24 de julho de 2024
quarta-feira, 24 de julho de 2024

Estudantes de São Paulo conhecem de perto as urnas eletrônicas

IMG-20240620-WA0076

Os representantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Waldomiro José Torres da Silva e Ingrid Resende, ambos da 6ª Zona Eleitoral, estiveram no Colégio Marista Glória, localizado na Zona Central de São Paulo (SP), para explicar para as turmas dos 9ºs anos do Ensino Fundamental – Anos Finais, como funciona o processo eleitoral. Os alunos tiveram acesso a uma urna “real”, a mesma utilizada nas votações pelo país, na qual puderam votar em candidatos fictícios e lúdicos, como o Curupira, a Cuca, o Boto-cor-de-rosa, ou até mesmo, um astronauta e uma bombeira.

Os estudantes puderam aprender como funciona a “zerésima”, o relatório emitido pela urna eletrônica, antes do início da votação, que comprova que não existe no equipamento nenhum voto dado a candidata ou candidato. O procedimento tem como objetivo dar transparência e segurança ao processo eleitoral, pois demonstra que a urna não contém voto algum para quaisquer concorrentes  antes da eleição.

Após o término do treinamento, as turmas puderam acompanhar também a apuração dos votos “depositados” na urna eletrônica.

Partidos políticos 

A iniciativa com as turmas dos 9ºs anos faz parte de um premiado projeto, intitulado “Cidadania através de partidos políticos”, cujo responsável é o professor da disciplina de História do colégio, Faissal Ghazi Tannoukhy.

Depois de muitas pesquisas, os alunos começaram a colocar a aprendizagem em prática. Após criarem seus partidos, identidades e características, os alunos começaram a trabalhar, nas disciplinas de História, Língua Portuguesa, Geografia, Ciências, Matemática e Educação Física, questões sociais que envolvem o cotidiano da sociedade, como desigualdade social, família, preconceito, inflação, meio ambiente, cultura, entre outros temas. A partir dessa premissa, os alunos se dividiram em partidos, cada um na defesa de uma ideologia ou setor. O colégio também promove um encontro entre os grupos (divididos em partidos políticos), simulando um debate de televisão e a campanha eleitoral.

“Conhecer o processo eleitoral é fundamental para os jovens, pois lhes permite exercer plenamente seus direitos e deveres como cidadãos, influenciando ativamente o futuro da sociedade e promovendo uma democracia mais justa e representativa”, afirma o professor Faissal.

Sistema eletrônico de votação

O Brasil é pioneiro no mundo na utilização de um sistema eletrônico de votação. Adotada no país desde 1996, a urna eletrônica foi desenvolvida para eliminar fraudes e limitar a intervenção humana durante o processo de voto.

Genuinamente nacional, desde o primeiro protótipo, desenvolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no início da década de 1990, o projeto da urna eletrônica já trazia o que havia de mais avançado à época para garantir a segurança da votação e a inviolabilidade do voto. Desde então, a urna vem passando sistematicamente por constantes aperfeiçoamentos e melhorias com o que há de mais moderno em tecnologia e segurança, tanto nos componentes de software, quanto na modernização física do equipamento (hardware).

Conteúdo Relacionado

Rolar para cima