Meia 92

quarta-feira, 24 de julho de 2024
quarta-feira, 24 de julho de 2024

Confira dicas de iluminação para economizar durante o inverno

Economia-de-luz

Tem uma coisa que é comum a todos os brasileiros: uma conta de luz mais alta durante o inverno. Isso porque a estação mais fria do ano exige mais aquecimento, banhos em temperaturas mais altas, e luzes acesas durante mais tempo, afinal, os dias escurecem mais cedo. A estimativa é que esse aumento possa chegar a até 35%, garantem especialistas.

“O uso do chuveiro elétrico é com certeza um dos principais problemas do brasileiro no que diz respeito ao alto consumo de energia, mas esse aumento também pode ser atribuído a um mau uso de itens simples, como lâmpadas, por exemplo”, diz Diego Prestes, diretor de compras e especialista em iluminação da Foxlux, empresa do Grupo Vellore que comercializa materiais elétricos e de iluminação.

Por isso, é preciso escolher bem, garante Diego. “Hoje, apesar da alta popularidade das lâmpadas LEDs e das campanhas para substituição de lâmpadas de outros formatos, ainda há pessoas que dizem ‘não gostar’ da LED, por ser uma luz fria. No entanto, o mercado oferece inúmeras opções de lâmpadas nesse formato, e todos eles garantem mais economia”, explica. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux) mostram que o modelo garante um consumo reduzido de energia que pode chegar a 65% se comparado às lâmpadas fluorescentes.

Outro ponto primordial, segundo Diego, é conferir como anda o sistema elétrico da casa. Se a conta de luz estiver vindo muito mais alta que o normal, é importante estar atento. “Um sistema elétrico mal conservado e com uma instalação inadequada não só aumenta o consumo de energia, como também pode ser um risco. O que acontece é que uma instalação elétrica com fios desencapados, ou desgastados, por exemplo, pode gerar o que a gente chama de fuga de corrente, ou de energia. É como se fosse uma energia desperdiçada, mas que vem na conta do mesmo jeito”, diz o especialista.

A mesma dica serve para os eletrodomésticos, que, quanto mais antigos, maior consumo de energia apresentam. “Hoje cada vez mais as indústrias e marcas oferecem opções econômicas e até mesmo mais comprometidas com a sustentabilidade e o meio ambiente, afinal, somos um país que gera energia majoritariamente através de hidrelétricas. Ou seja, quanto mais energia usamos, mais recursos naturais estaremos consumindo. As pessoas precisam entender que a responsabilidade é de todos, e que é preciso investir em equipamentos mais sustentáveis”, finaliza Diego.

Conteúdo Relacionado

Rolar para cima