fbpx

Meia 92

sábado, 18 de maio de 2024

Fluência em inglês: mitos e verdades sobre o aprendizado do idioma

FAKE NEWS word by wood alphabets with many random letters around

No mundo do aprendizado de idiomas, a busca por métodos rápidos e eficazes é diária. No entanto, muitos mitos circulam, criando expectativas irreais e desinformação sobre o processo. Segundo pesquisa da Ethnologue, o inglês foi a língua mais falada em 2023. São mais de 1.4 bilhões de falantes em todo mundo, o que corresponde a quase seis vezes a população do Brasil. Os números devem crescer ainda mais, pois de acordo com dados do ano passado da QS Global Employer Survey, a proficiência em inglês é amplamente valorizada pelos empregadores em todo o mundo.

Porém, com a ampla procura em desenvolver e aprimorar a língua, é possível observar promessas grandiosas no mercado – ser fluente em apenas alguns meses, fazer intercâmbio é a grande solução, decorar muitas palavras te fará um fluente e que idade é um dos quesitos importantes para se dar bem com o idioma. Esses métodos oferecidos por muitos professores e escolas podem ser um grande bloqueio se o aluno não atingir essas expectativas, por exemplo, com a segurança de se comunicar. Recentemente a Save Me Teacher, plataforma que ensina inglês para o trabalho, divulgou dados que mostram que 40% dos profissionais têm vergonha de falar inglês no ambiente corporativo.

“Desenvolver fluência em inglês é uma jornada que requer compromisso, prática e uma compreensão realista do processo. Ao desmistificar os mitos e destacar os verdadeiros fatores que aceleram o aprendizado, capacitamos os estudantes a alcançarem os objetivos linguísticos com confiança e eficácia. Como especialista em Business English e professora de inglês há mais de 20 anos, sei que prometer um percurso fácil e impossível de se conquistar em pouco tempo de aprendizado pode agravar e muito a compreensão do idioma e frustrar quem está aprendendo. Os educadores precisam ser transparentes e cuidadosos ao prometerem algo que sabem da complexidade”, comenta Carla D’Elia, fundadora da Save Me Teacher.

Com isso, Carla lista mitos, mas também dicas eficazes que podem auxiliar no processo de aprendizado do inglês. Confira abaixo:

Mito 1: Intercâmbio garante fluência

Frequentemente ouvimos que fazer intercâmbio é a chave para aprender inglês rapidamente. No entanto, a realidade é que o sucesso depende da dedicação do estudante. Simplesmente estar em um país de língua inglesa não garante fluência: é necessário compromisso e horas de estudo, mesmo após o retorno.

Mito 2: Morar fora é a solução

Viver em um ambiente onde o inglês é predominante não é suficiente para se tornar fluente. A verdadeira fluência requer estudo, prática e comunicação ativa no idioma.

Mito 3: Traduzir é um obstáculo

Contrariando a crença popular, usar a língua materna como referência no aprendizado de inglês pode ser benéfico. Com base na minha experiência, acredito que usar o português como aliado no aprendizado ajuda no desenvolvimento da fluência.

Mito 4: Conhecer 5 mil palavras é o suficiente

A ideia de que um vocabulário extenso é tudo o que é necessário para fluência é enganosa. A verdadeira proficiência requer o desenvolvimento de habilidades diversas, incluindo fala, leitura, escrita e escuta. Além disso, colocar um mínimo ou máximo de palavras a serem decoradas pode ser frustrante e fora da realidade.

Mito 5: Aprenda ainda criança para fluência rápida

Comparar o processo de aprendizado de crianças e adultos é simplista. Adultos e crianças têm processos de aprendizagem distintos, e aprender um segundo idioma envolve desafios únicos para cada grupo. Por isso, o melhor profissional/escola é aquele que aplica os melhores métodos. Por outro lado, a idade nunca deve ser colocada como um empecilho para o aprendizado de alguma habilidade, mas sim um incentivo.

Dicas eficazes:

Apesar dos mitos, há maneiras eficazes de acelerar o aprendizado de inglês:

  • Propósito definido: Estabeleça objetivos claros e aprenda com um propósito específico, seja para trabalho, viagem ou estudo.
  • Constância e regularidade: Priorize a prática consistente ao longo do tempo para desenvolver memórias de longo prazo, criando uma rotina de dedicação ao idioma.
  • Imersão em inglês: Aumente sua exposição ao idioma consumindo conteúdo em inglês sempre que possível, seja em filmes, séries, músicas ou games.
  • Estratégias de aprendizagem: Organize sua rotina de estudos e desenvolva habilidades autônomas para medir seu progresso.
  • Profissionais qualificados: Conte com a orientação de cursos de inglês e professores qualificados, que empregam técnicas cientificamente validadas para acelerar o aprendizado.

“Seria bom se tivesse uma fórmula mágica para aprender inglês, mas isso depende dos métodos de ensino e do foco de quem quer aprender. Ir no mais fácil ou no que promete coisas grandiosas nem sempre é o melhor caminho. Antes de buscar por um profissional ou escola de idiomas, a melhor coisa é pesquisar. As minhas redes sociais estão recheadas de conteúdos e é uma ótima percepção do que meus alunos encontraram nos meus cursos. Luto todos os dias para remover paradigmas sobre o aprendizado do inglês, principalmente quando falamos de Business English”, finaliza Carla.

Conteúdo Relacionado