fbpx

Meia 92

domingo, 3 de março de 2024

Prática de musculação e ingestão de proteínas previnem sarcopenia

pessoas-idosas-que-trabalham
Com as alterações fisiológicas e hormonais do organismo durante o processo de envelhecimento, muitas pessoas não percebem a perda de massa muscular, que pode ser mais intensa diante do sedentarismo e dos maus hábitos, como a má alimentação, o tabagismo e o alcoolismo. Essa perda é conhecida como sarcopenia e é acelerada a partir dos 40 anos e as mulheres após a menopausa são as mais atingidas.
De acordo com o ortopedista Marcelo Ruck, do hospital Santa Casa de Mauá, a sarcopenia também está ligada a doenças como traumatismos, infecções, inflamações, câncer e grande período de internação hospitalar. “A sarcopenia compromete até a perda de força, a locomoção e os movimentos”, explica o médico.
Os seus sintomas também podem impactar as atividades do dia a dia, como segurar ou erguer peso, levantar da cadeira ou do sofá sem apoio, subir escadas e manter o equilíbrio. Alguns desses sintomas podem causar quedas e fraturas, assim como levar à depressão por incapacidade, que inclusive pode ser seguida de perda da independência.
Com o envelhecimento, a síntese de proteína muscular também é reduzida e o sedentarismo, principalmente nos idosos, acelera ainda mais a perda de massa muscular. Essa realidade mostra que a sarcopenia deve ser prevenida com a prática regular de exercícios físicos, preferencialmente musculação.
Outro fator importante para conter a sarcopenia é uma alimentação balanceada rica em proteínas. O ideal é cerca de um grama para cada quilo de peso, todos os dias. Algumas opções de alimentos são o frango, queijo, carne, soja, grão de bico, quinoa, feijão, medicação, suplementação, vitaminas, aminoácidos essenciais, além de boa noite de sono e o consumo de dois litros de água por dia.
Vale lembrar que além da proteína, outros nutrientes colaboram para a manutenção muscular e os carboidratos precisam fazer parte da dieta, já que geram energia e caso o organismo não o encontre nas fontes certas, buscará a energia nas proteínas dos músculos, comprometendo ainda mais o quadro de sarcopenia.
O seu diagnóstico é clínico e complementado por exames de tomografia, raio-x, densitometria, bioimpedanciometria, ressonância ou ultrassom e testes que avaliam a força muscular, especialmente nos membros inferiores e abdômen. “Não tem como falar em tratamento da sarcopenia se não houver mudança do estilo de vida”, revela o ortopedista Marcelo Ruck.
O Hospital Santa Casa de Mauá está localizado na Avenida Dom José Gaspar, 1374 – Vila Assis – Mauá – fone (11) 2198-8300.  https://santacasamaua.org.br/ .

Conteúdo Relacionado