fbpx

Meia 92

sábado, 18 de maio de 2024

Diabetes, demência, pneumonia e infarto: conheça essas e mais doenças que a periodontia pode causar

dor-de-dente
A doença periodontal, também conhecida como doença das gengivas, é uma condição comum que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Além de ser uma das principais causas de perda total de dentes, a doença periodontal está associada a uma série de problemas de saúde em outras partes do corpo. Compreender os riscos e a importância da prevenção é essencial para manter uma boa saúde bucal e geral.
A cirurgiã-dentista e periodontista, Dra. Bruna Conde, explica que a doença periodontal começa como uma inflamação das gengivas, conhecida como gengivite. Os primeiros sinais incluem gengivas inchadas, vermelhas, sensíveis e que sangram facilmente. Se não for tratada, a gengivite pode progredir para periodontite, uma forma mais grave da doença, na qual ocorre a perda de osso e os dentes podem se soltar e cair. Alguns dos sintomas que podem surgir são: gengivas inchadas, vermelhas ou sensíveis, sangramento gengival durante a escovação ou uso do fio dental, mau hálito persistente, retração gengival, expondo as raízes dos dentes, sensibilidade dentária a alimentos quentes, frios ou doces, mobilidade dentária e formação de bolsas periodontais entre os dentes e as gengivas.
Mas por que a doença periodontal é tão preocupante? Estudos científicos têm mostrado uma relação entre a saúde bucal e várias condições. Aqui estão os principais impactos da doença periodontal na saúde:
Diabetes: A relação entre a doença periodontal e o diabetes é bidirecional. Pessoas com diabetes têm maior propensão a desenvolver doença periodontal, e a inflamação causada pela doença periodontal pode afetar o controle glicêmico, dificultando o gerenciamento da diabetes.
Em outro estudo publicado, os cientistas descobriram que os diabéticos que trataram a doença periodontal viram seus custos gerais com a saúde diminuírem de 12% a 14%.
Doenças cardiovasculares: Pesquisas sugerem que a doença periodontal pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como doença arterial coronariana, acidente vascular cerebral e hipertensão. A inflamação crônica associada à doença periodontal pode desempenhar um papel na progressão dessas condições.
Complicações na gravidez: Mulheres grávidas com doença periodontal têm maior probabilidade de experimentar parto prematuro e bebês de baixo peso ao nascer. Acredita-se que a inflamação causada pela doença periodontal possa desencadear uma resposta inflamatória sistêmica que afeta a gravidez.
Doenças respiratórias: As bactérias presentes na cavidade bucal infectada pela doença periodontal podem ser aspiradas para os pulmões, aumentando o risco de pneumonia e outras infecções respiratórias.
Artrite reumatoide: Estudos têm mostrado uma associação entre a doença periodontal e a artrite reumatoide. A inflamação crônica característica da doença periodontal pode desencadear uma resposta autoimune que contribui para o desenvolvimento da artrite reumatoide.
Além dessas condições, a doença periodontal também pode estar relacionada à osteoporose, câncer colorretal e de mama, entre outros problemas de saúde.
Periodontia e Alzheimer
Uma pesquisa publicada neste ano na revista Internacional Neurology, mostrando que a periodontite e a perda dos dentes estão associados ao encolhimento do hipocampo, uma região do cérebro importantíssima para a memória.
Os pesquisadores estão cada vez mais interessados no papel da saúde bucal na demência, particularmente no Alzheimer. As bactérias encontradas na boca, na verdade, foram identificadas no tecido cerebral de pacientes com Alzheimer sugerindo um potencial papel para elas na doença.
A Dra. Bruna Conde observa que uma boca doente é fonte de muitos agentes inflamatórios que podem se espalhar na corrente sanguínea e chegar ao cérebro, contribuindo para a sucessão de eventos que levam à demência. Isso significa que a má higiene bucal e a doença periodontal podem estar associadas a doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer. Essa associação levanta um alerta sobre a necessidade de cuidados de saúde adequados também para os dentes e destaca o grande impacto que a saúde oral pode representar na saúde como um todo.
Caso a doença periodontal seja diagnosticada, é crucial buscar tratamento profissional. O tratamento recomendado é com especialista em Periodontia. Realizando uma raspagem profunda subgengival (dentro da gengiva).
Uma raspagem supragengival (forada gengiva), profilaxia e enxaguantes não resolvem o problema.
A intervenção precoce é essencial para evitar a progressão da doença e a perda de dentes.
É fundamental que as pessoas sejam conscientizadas sobre a importância da prevenção da doença periodontal e tenham acesso a informações atualizadas e confiáveis. Campanhas de conscientização, programas educacionais em escolas e divulgação de informações em mídias sociais e veículos de comunicação podem desempenhar um papel crucial na disseminação do conhecimento e na promoção de uma melhor saúde bucal”, finaliza a Dra. Bruna Conde.

Conteúdo Relacionado