fbpx

Meia 92

sábado, 2 de março de 2024

A importância de uma alimentação balanceada para quem deseja parar de fumar

Design sem nome (10)

Apesar das várias campanhas de conscientização acerca dos danos do tabagismo, seu consumo persiste. Contudo, é importante frisar que esse tipo de dependência possui tratamento. Abandonar o tabaco ou o cigarro requer não apenas consciência e determinação, mas uma dose significativa de perseverança. Muitos desconhecem que, para além dos elementos já mencionados, uma alimentação adequada desempenha um papel indispensável nesse processo.

Ana Carolina de Paula Campos, nutricionista da Clínica-escola do curso de Nutrição da Universidade Cruzeiro do Sul, exemplifica que a alimentação inadequada e o tabagismo se relacionam. “O consumo de bebidas alcoólicas e café podem ser gatilhos para o ato de fumar, enquanto o consumo de alimentos hiperpalatáveis e ultraprocessados, com alto teor de sódio, gordura e açúcares, acaba sendo uma tentativa de amenizar a ansiedade e abstinência”, diz.

Também nutricionista da Universidade Cruzeiro do Sul, Isabella Aparecida Médice Urbano fala que a dependência do tabagismo pode ser dividida em três partes, sendo elas: física, psicológica e condicionada. A primeira tem a ver com a sensação de prazer e bem-estar – e a ausência do consumo gera abstinência, que pode causar ansiedade, agressividade, irritabilidade, dores de cabeça e fissura.

“Já a segunda é quando a pessoa utiliza o ato de fumar para aliviar seus sentimentos e tensões, gerados por estresse e ansiedade. Na terceira parte o indivíduo fuma por influência do meio social: quando a maior parte das situações de sua rotina tem o cigarro presente. Aqui é onde ele consome para e ou antes de ir ao banheiro, no intervalo do trabalho, antes ou após comer, socializar, consumir café, bebidas alcoólicas, entre outras”, afirma.

Certo, mas quais alimentos ajudam contra o tabagismo?

Há uma variedade de alimentos que pode ser útil para pessoas que estão buscando abandonar o hábito de fumar. A base dessa abordagem deve ser composta por alimentos frescos e naturais, tais como cereais, frutas, castanhas, legumes, verduras, feijões, carnes magras, grãos e sementes. No entanto, é importante avaliar o padrão alimentar individual da pessoa antes de iniciar qualquer mudança. Uma abordagem eficaz envolve a introdução de uma dieta diversificada e colorida, incorporando ingredientes preparados de diversas maneiras para proporcionar uma experiência sensorial agradável.

Optar por preparações e alimentos crocantes, complementados com temperos naturais, é uma excelente escolha, uma vez que isso estimula os sentidos e promove uma refeição mais consciente. “Alguns alimentos com base antioxidante e precursores de serotonina, que é um neurotransmissor responsável pela melhora do humor, relaxamento e redução da ansiedade, como o abacate, beterraba, abacaxi e brócolis, estão sendo chamados de antifumo por promoverem redução da ansiedade e crises de abstinência causadas pela mesma”, explica.

A nutricionista da Clínica-escola de Nutrição da Universidade Cruzeiro do Sul, Camila Raymundo Farias, afirma que, ao abandonar o vício, geralmente os ex-fumantes tendem a apresentar um aumento no paladar e olfato, bem como uma maior tendência à ansiedade. “Esses fatores fazem com que as pessoas, em geral, substituam o cigarro pelo prazer de comer, gerando compulsão alimentar. O hábito de fumar por muito tempo pode prejudicar o sistema digestivo, portanto, alimentos mais leves e evitando excesso de gorduras e condimentos são os mais indicados na dieta. Em complemento, as refeições devem ser realizadas de maneira tranquila, incluindo pequenas porções de alimentos saudáveis ao dia”.

Fontes de vitamina C, como goiaba, laranja, limão, acerola, abacaxi; e alimentos fontes de fibra, como verduras folhosas, legumes, cereais e comestíveis integrais, grãos e sementes, sucos naturais e frutas frescas, oleaginosas, água de coco, entre outros, devem ser considerados como opção no cardápio de quem deseja parar de fumar, ou seja, de forma orientada.

Adotar um padrão alimentar saudável é importante para o controle dos danos causados pelo tabagismo e controle da ansiedade, frisa Ana. Daí a importância de uma dieta rica em frutas, legumes e verduras, pois vão fornecer as vitaminas, minerais e outras substâncias essenciais para a manutenção da saúde física e mental.

No quesito preparação, Isabella afirma que pode introduzir saladas de folhas e legumes crus, como cenoura ralada, palito ou baby, e outros alimentos, como pepino, maçã, coco, pipoca, castanhas, semente de girassol e linhaça adicionadas na salada, nos bolos e nas frutas, alimentos grelhados e assados, sendo carnes, peixes e até mesmo batata doce e legumes, como abóbora e abobrinha. Para temperar, preferir ingredientes naturais: salsão, coentro, alecrim, manjericão, gengibre e hortelã (inclusive, esses dois últimos podem ser mascados).

Camila Raymundo Farias ressalta que todo profissional de saúde deve reforçar aos seus pacientes que ao largar o cigarro é possível sim ter um ganho de peso no início. Mas, se incluídos bons hábitos no cotidiano, os prejuízos desse efeito são menores do que os benefícios a longo prazo.

Além disso, Camila recomenda a prática regular de exercícios físicos (diminui ansiedade e abstinência a partir do aumento da produção de serotonina e endorfina, hormônios da satisfação e bem-estar) e a participação em grupos (dão a sensação de comunidade e pertencimento) e ou tratamentos psicológicos (auxilia nos conflitos pessoais, sociais e alimentar com o tabagismo), que são grandes aliados nesse processo.

Conteúdo Relacionado