fbpx

Meia 92

sábado, 15 de junho de 2024

Baixa autoestima e crenças limitadoras impedem pessoas de se libertarem de relacionamentos tóxicos

a6371ba2-e375-4f41-afa6-719205852b8c

De acordo com William Sanches, terapeuta e especialista em comportamento humano, é preciso se livrar de estigmas que nos limitam para buscar uma relação realmente saudável

Os relacionamentos desempenham um papel crucial em nossas vidas, trazendo alegria, apoio e crescimento pessoal. No entanto, nem sempre é fácil mantê-los saudáveis e harmoniosos. Problemas podem surgir devido a uma série de razões, como falta de comunicação, expectativas não correspondidas e conflitos de interesse. Quando esses problemas persistem, podem levar ao distanciamento emocional e, até mesmo, ao rompimento.

Felizmente, existem abordagens que podem nos ajudar a superar esses desafios e cultivar relacionamentos positivos. Uma delas é a Lei da Atração, princípio que afirma que nossos pensamentos e emoções têm o poder de atrair experiências semelhantes para nossas vidas. Ao entender e aplicar esses princípios, é possível transformar padrões negativos e criar conexões mais saudáveis e gratificantes.

De acordo com William Sanches, terapeuta, escritor, especialista em comportamento humano e programação neurolinguística, a chegada do dia dos namorados é um momento interessante para fazer algumas reflexões em relação a padrões em relacionamentos. “É comum que pessoas terminem seus relacionamentos e, após algum tempo, iniciam uma nova relação que conta exatamente com os mesmos problemas da anterior. Com isso, conseguimos perceber que muitos de nós repetimos padrões mentais daquilo o que acreditamos que merecemos, atraindo sempre as mesmas vibrações”, revela.

O especialista acredita que isso evidencia a falta de autoestima das pessoas. “Quando alguém não tem uma boa autoestima, irá acreditar que merece se relacionar com um par que não é exatamente o que ela gostaria. Existe um conceito chamado ‘A Teoria das Janelas Quebradas’, que se originou após indivíduos perceberem que um prédio em Nova Iorque que tinha diversas janelas quebradas, a cada dia, contava com mais vidros despedaçados. Com isso, psicólogos que deram início à teoria perceberam que as construções arrumadas e bem cuidadas não eram atacadas com pedras ou madeiras. Enquanto isso, os edifícios que estavam caindo aos pedaços, eram comumente depredados pelas pessoas. Ou seja, quando as coisas estão muito ruins, tendem a ficar ainda piores com o tempo”, declara.

Para Sanches, estereótipos enraizados podem causar crenças limitadoras capazes de fazer com que as pessoas sigam repetindo os mesmos padrões. “Pensar que nenhum homem quer um relacionamento sério, mulheres são interesseiras e outras coisas nesse sentido só trará consequências negativas. Quanto mais acreditamos nessas afirmações, mais isso será replicado no mundo. Essas crenças que costumam nos atrapalhar devem ser trabalhadas com o poder da nossa própria mente”, pontua.

O terapeuta acredita que muitos desses problemas para desenvolver um relacionamento podem vir da infância, vendo uma relação problemática entre os próprios pais. “Na escola, não aprendemos a nos relacionar. Não existe um curso de relacionamento para que as coisas sejam mais fáceis. Aprendemos ao longo da vida, quebrando a cara e batendo a cabeça até entender o que é bom e o que é ruim. Para isso, precisamos aprender, evoluir e entender que todos somos diferentes. Quando nos livrarmos dessas crenças e estigmas que nos limitam, poderemos buscar uma relação saudável sem medo de ficarmos presos em um relacionamento que não traz boas vibrações para nossa vida”, finaliza.

*William Sanches é Terapeuta Transpessoal é Pós-graduado em Neurociências e Comportamento pela PUC-RS. Também cursou Letras, Pedagogia e é pós-graduado em Literaturas, Educação, Psicologia Positiva, Hipnose Clínica e Programação Neurolinguística. Estudou as Questões Sociais do Novo Milênio na Universidade de Coimbra, em Portugal. Apaixonado pelos temas que envolvem a alma, aprofundou-se nos estudos sobre espiritualidade independente e participou de Retiros pelo Brasil, Índia e Israel. Com uma linguagem dinâmica e atual, consegue permitir uma reflexão capaz de construir novos caminhos. Educador por excelência, dedica-se às palestras, cursos e workshops que profere em todo o mundo, atingindo um público estimado em dois milhões de pessoas. Possui mais de 25 livros publicados no Brasil, Europa e em toda América Latina. Atualmente é uma das maiores referências sobre o tema Lei da Atração. Seu canal no YouTube ultrapassa 1 milhão de inscritos e mais de 40 milhões de visualizações.

Conteúdo Relacionado