fbpx

Meia 92

sábado, 2 de março de 2024

Advogada de imigração apresenta 06 passos para viajar para Europa com segurança!

foto-Livia-2

A primeira viagem internacional a gente nunca esquece. Mas quais são as dicas para passar na imigração com tranquilidade?

Sem dúvida, uma viagem internacional neste período de férias, é recomendável se informar bastante antes de embarcar para não ser barrado na imigração e seu sonho de viagem se torne mais um pesadelo.

Para ajudar os passageiros, a Dra. Lívia Suassuna, brasileira que atua em seu escritório em Londres (Reino Unido), especialista em direito imigratório e de família, preparou um manual com as principais providências que devem ser tomadas:

1 – Passagem de ida e volta – todos os países em que você vai entrar vão pedir a passagem de ida e volta. Como turista, você tem que provar que não quer ficar mais tempo no país do que seu tempo limite. Em alguns países da Europa o tempo de permanência é de até 90 dias. No Reino Unido, são 180 dias. O país é composto pela Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

2 – Seguro-Saúde – não é obrigatório na maioria dos países, mas aconselhável. Caso você sofra algum acidente durante a viagem, você teria que pagar os custos. Você vai ser atendido, na maioria das vezes, nos hospitais públicos, mas depois vai chegar uma conta que não é barata. Principalmente nos EUA.

3 – Visto – atualmente os brasileiros não necessitam de visto de turista prévio em alguns países, pois há um acordo entre países que os liberam dessa exigência, como os países da América do Sul (exemplos: Argentina, Chile), países da União Europeia (como Alemanha, Itália, Portugal, Croácia, etc), Ásia (como Filipinas e Tailândia), a Nova Zelândia e países da África do Sul.

Na Europa, boa parte dos países não exige o visto prévio. São 104 países que permitem que brasileiros entrem no país sem emitir um visto. É importante lembrar que o tipo de permissão é diferente se a viagem for para lazer ou a negócios.
Já nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, China e Japão, precisam de visto prévio para poder entrar e as regras são bem exigentes. É bom planejar a viagem com antecedência para não ser pego de surpresa.“Atenção também, se ao destino final, é exigido o comprovante internacional de vacinas. O Certificado Internacional de Vacinação (CIVP) pode ser acessado pela internet, através do próprio site do Governo Federal”, ressalta a advogada.

4 – Acomodação – É fundamental fazer um roteiro especificando a programação da viagem, lugares que pretende visitar, tempo de hospedagem e o tipo de acomodação, que pode ser hotel, Airbnb, casa de amigos, com as devidas declarações e comprovações. O oficial da imigração pedirá informações sobre isso.

5 – Dinheiro – Checar a moeda utilizada do país que você pretende viajar. Nos EUA seria o dólar. Na Europa, o euro. Mas alguns países têm a moeda própria, como no Reino Unido , que é a libra esterlina. Tem gente que brinca dizendo “quem converte não se diverte”. Mas não caia nessa! É fundamental organizar e definir quanto pode gastar durante o roteiro para não passar por inconvenientes. Lembre-se de que a viagem deve ser prazerosa, com momentos de aprendizado e trocas culturais.

6 – Checklist da bagagem: depois de todas as informações sobre a viagem, faça a lista de tudo o que é importante levar para que tudo aconteça da melhor forma.

“Coloque na lista os documentos necessários, que devem ficar na bagagem de mão, dinheiro e cartões e computador. Não deixe de conferir as regras de bagagem! Pronto, agora é esperar o dia da viagem com a certeza de que será uma experiência incrível”, finaliza Dra. Livia Suassuna, especialista em direito imigratório.

Conteúdo Relacionado