fbpx

Meia 92

sábado, 2 de março de 2024

7 dicas para você diminuir a ansiedade

Stressful,Depressed,Sad,Woman,With,Mental,Health,Illness,,Headache,,Migraine

A ansiedade acompanha o ser humano desde os primórdios da humanidade. Inicialmente, as sensações de insegurança e medo serviam para auxiliar o instinto de sobrevivência, e deixar o homem em estado de alerta, o que o protegia dos perigos. Mas com o tempo, esses sintomas acabaram por se tornar uma grande pandemia de saúde mental. Hoje vivemos em uma sociedade cada vez mais ansiosa, onde a dificuldade para dormir e sentimentos de angústia e incerteza são cada vez mais comuns.

Segundo a OMS, o Brasil tem uma das maiores taxas de prevalência de transtorno de ansiedade no mundo, com quase 10% da sua população se considerando ansiosa.“A ansiedade é um sentimento natural, mas é importante ficar atento para quando ela se torna um problema de saúde e procurar ajuda profissional”, afirma Filipe Colombini, psicólogo e CEO da Equipe AT.

O especialista afirma que existem hábitos que podem ser colocados em prática para gerenciar a ansiedade no dia a dia. “Mas não devemos esquecer de que o apoio de profissionais da saúde mental é fundamental para um tratamento mais completo”, aconselha o Colombini.

Confira, a seguir, 7 dicas do psicólogo da Equipe AT para driblar o problema:

  1. Aprenda a lidar com a sua ansiedade: esse sentimento faz parte da nossa vida, assim como a alegria e a tristeza, por isso, é importante aprender a lidar bem com as sensações geradas por ela, quando aparecem. “Pensar muito no problema pode ter o efeito contrário e deixar a pessoa ainda mais ansiosa”, diz o psicólogo. “O objetivo deve ser aceitar e entender quais situações te trazem esse sentimento e não tentar lutar contra ele a todo custo”, conclui.
  2. Pratique o autocuidado: saber do que você gosta e quais são os pontos da sua vida trazem mais ansiedade é um passo importante para entender melhor a si mesmo e mudar hábitos negativos. “Praticar o autocuidado é importante, pois ajuda a construir uma rotina que traga equilíbrio e traga bem-estar”, comenta Colombini. “Para isso, é importante manter uma boa gestão do tempo, já que o sentimento de ansiedade muitas vezes está relacionado com uma sensação de perda de controle”, explica o psicólogo.
  3. Mantenha hábitos saudáveis: devemos entender que a diferença entre saúde mental e física é meramente didática, portanto, o jargão “mente sã, corpo são” faz, sim, total sentido. “Muitos transtornos, incluindo a ansiedade, estão diretamente ligados a uma rotina pouco saudável, por isso, é essencial ter um sono de qualidade e praticar exercícios físicos, além de utilizar técnicas de respiração, relaxamento e meditação. Isso tudo para ajuda bastante a diminuir a ansiedade”, recomenda o especialista.
  4. Pense nas suas metas em partes: outro grande gatilho para a ansiedade é a autocobrança sobre o futuro e seus próprios objetivos. “Em vez de pensar em algo grandioso, é importante dividir as metas em pequenas etapas. Isso irá contribuir para manter a ansiedade sob controle”, diz Colombini. “Isso torna os objetivos mais palpáveis, permitindo a autovalidação, importante sempre que forem concluídas casa uma dessas pequenas metas”, explica o psicólogo.
  5. Tenha um ambiente social enriquecido: ter ao lado pessoas queridas e que validam sua jornada pessoal é algo que ajuda a controlar a ansiedade. “Relações de afeto e de suporte são fundamentais para se contrapor a ambientes em que você a pessoa se sinta julgada, portanto, ter uma rede de suporte e manter amizades verdadeiras é uma boa forma de diminuir a ansiedade e viver melhor”, afirma Colombini.
  6. Pratique a aceitação ativa: entender que sentimentos negativos, assim como os positivos, fazem parte da vida é fundamental para diminuir a autocobrança em dias que você não está tão bem. “As emoções são indicadores da nossa mente para nós mesmos. Ou seja, não é possível se livrar de sensações ruins, como a ansiedade, o importante é o que fazer com essas emoções”, diz o especialista.
  7. Saiba a hora de procurar ajuda: em momentos de crise aguda, onde a ansiedade se torna avassaladora , é importante procurar ajuda profissional. “Tanto os psicólogos quanto os psiquiatras são especialistas que vão lhe ajudar a articular toda a questão que cerca o problema de forma profunda”, comenta Colombini. “ É importante ressaltar que não existe receita mágica contra a ansiedade e que cada caso é único, por isso, a ajuda profissional é sempre recomendada”, conclui.

 

Mais sobre Filipe Colombini: psicólogo, fundador e CEO da Equipe AT, empresa com foco em Acompanhamento Terapêutico (AT) e atendimento fora do consultório, que atua em São Paulo (SP) desde 2012. Especialista em orientação parental e atendimento de crianças, jovens e adultos. Especialista em Clínica Analítico-Comportamental. Mestre em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP). Professor do Curso de Acompanhamento Terapêutico do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas – Instituto de Psiquiatria Hospital das Clínicas (GREA-IPq-HCFMUSP). Professor e Coordenador acadêmico do Aprimoramento em AT da Equipe AT. Formação em Psicoterapia Baseada em Evidências, Acompanhamento Terapêutico, Terapia Infantil, Desenvolvimento Atípico e Abuso de Substâncias.

Conteúdo Relacionado