fbpx

Meia 92

domingo, 3 de março de 2024

53º Festival de Inverno de Campos do Jordão começa neste fim de semana

2022-07-31-AUD-orquestra-do-festival-lehninger-elschenbroich-fotos-laura-manfredini-68-r

Evento acontece entre 1 e 30 de julho e terá mais de 60 concertos em três locais de Campos do Jordão, além da Sala São Paulo; tudo 100% gratuito

Módulo Pedagógico oferece 135 bolsas de estudo integrais para instrumentistas e regentes, com atividades que incluem prática orquestral, música de câmara e música antiga.

Reconhecido como o maior e mais tradicional evento de música clássica da América Latina, o Festival de Inverno de Campos do Jordão chega à sua 53ª edição em 2023 – ele não ocorreu apenas em 2020, devido à pandemia do coronavírus. A programação artística acontece de 1 a 30 de julho e estará distribuída entre as cidades de Campos do Jordão – com três palcos – e a Sala São Paulo. O Festival é realizado pela Fundação Osesp e pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas.

Serão mais de 60 concertos, todos eles com entrada gratuita, divididos entre três locais da cidade da Serra da Mantiqueira: o adorado Auditório Claudio Santoro (apresentações de sexta a domingo); o popular Parque Capivari (sábados e domingos); e a bela Capela São Pedro, localizada no Palácio Boa Vista (sábados e domingos). A Sala São Paulo também terá uma agenda de apresentações, distribuídas entre a Sala do Coro (de terça a quinta, com ênfase em performances de Artistas do Festival) e a Sala de Concertos (sábados e domingos).

Destacam-se, na programação artística em Campos do Jordão, concertos da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp na abertura (com seu Diretor Musical Thierry Fischer e o pianista britânico Stephen Hough, dia 1º/jul, às 20h30) e no penúltimo dia do evento (com a regente mexicana Alondra de la Parra e o violoncelista americano-brasileiro Gabriel Martins, dia 29/jul); da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, regida por Fabio Mechetti, celebrando os 150 anos de nascimento de Rachmaninov (07/jul); da Orquestra Filarmônica de Goiás, sob a batuta de Neil Thomson, em um programa com compositores brasileiros (15/jul); do Coro da Osesp com a maestra Sofi Jeannin cantando as Luzes do Ártico (22/jul); e da Camerata Antiqua de Curitiba, com orquestra e coro interpretando o oratório Joshua, de Haendel (28/jul). Teremos também uma variedade de grupos paulistas, incluindo a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, a Orquestra Experimental de Repertório, a Orquestra do Theatro São Pedro, a Osusp, a Sinfônica de Campinas e a GRU Sinfônica.

No módulo pedagógico, o Festival receberá, ao todo, 135 alunos e 42 professores. Os bolsistas terão, nesta edição, duas semanas de prática orquestral e duas de música de câmara. Receberemos dois grandes nomes camerísticos do Reino Unido: o Brodsky Quartet, que toca a integral dos 15 Quartetos de Cordas de Shostakovich com os estudantes; e o quinteto de sopros London Winds, que permanece por uma semana participando de atividades educativas e artísticas. Os maestros convidados serão o alemão Henrik Schaefer e a indonésia Rebecca Tong, que encerra a programação à frente da Orquestra do Festival com a estreia mundial de uma obra de Rafael Marino Arcaro e tocando também a Quinta Sinfonia de Mahler.

Os bolsistas atuarão, ainda, em um programa que inclui a estreia brasileira do Ballet Mécanique, de George Antheil, e Les Noces, de Stravinsky, com participação do Coral Paulistano e de quatro pianos, liderados pelo brasileiro radicado na Alemanha Paulo Álvares. Já os alunos de regência farão um concerto no Parque Capivari à frente da GRU Sinfônica. A Sala São Paulo também terá bons concertos aos fins de semana, como os da Orquestra do Festival (09 e 29/jul, ambas com transmissão ao vivo no YouTube do Festival); das Filarmônicas de Minas Gerais (08/jul) e de Goiás (16/jul); e da Camerata Antiqua de Curitiba (29/jul), entre outros.

E, por fim, haverá a entrega do tradicional Prêmio Eleazar de Carvalho, cujo nome homenageia o maestro criador do Festival de Campos do Jordão e celebra o músico-bolsista de maior destaque do evento. Parceiro do Festival há muitos anos, o emblemático Hotel Toriba terá uma programação paralela com 16 concertos divididos entre o Palco Scenico e a Sala da Lareira. A programação completa desta edição do Festival pode ser acessada em seu site oficial.

“Estamos saindo de um período de três anos de grandes dificuldades, no nível pessoal e institucional, com mudanças em todo o panorama da música orquestral no mundo, e agora enfrentamos questões que não eram tão prementes antes da pandemia. Nosso amor, dedicação e consciência da importância daquilo que produzimos, que é a música de concerto, nos leva a fazer acontecer este evento e a formação dos estudantes proporcionada por ele. Por isso, esta edição do Festival de Inverno promete ser tão brilhante, intensa e densa quanto edições anteriores”, afirma o Coordenador Artístico-Pedagógico do Festival, Fabio Zanon.

“A Fundação Osesp realiza o Festival desde 2012, mas nossa história está intimamente ligada à do evento – a maior parte de nossos músicos foram alunos, e, antes de termos a Sala São Paulo como residência, Campos do Jordão foi a casa da Orquestra por décadas, a cada inverno”, conta Marcelo Lopes, Diretor Executivo da Fundação Osesp. “O Festival movimenta a economia na região da Serra da Mantiqueira, leva ao público uma programação de altíssima qualidade e, nesses mais de 50 anos, enriquece enormemente o cenário da música clássica no país, além de promover inúmeras interlocuções ao redor do mundo (com seus alunos e professores)”, completa.

“Para a edição deste ano do Festival de Inverno, nosso foco é oferecer ao público a melhor programação possível de maneira totalmente gratuita, levando em consideração o impacto que a pandemia da Covid-19 teve em todo o setor cultural e, sobretudo, no funcionamento das orquestras”, afirma a secretária da Cultura, Economia e Indústria Criativas, Marília Marton. “Por isso, o Governo do Estado de São Paulo está 100% comprometido com a viabilização dos concertos e do programa pedagógico, que está historicamente atrelado ao Festival”, finaliza.

PRÊMIOS E BOLSAS

O Prêmio Eleazar de Carvalho contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades com bolsas na Academia de Música da Osesp.

SOBRE O FESTIVAL DE INVERNO DE CAMPOS DO JORDÃO

Criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e Souza Lima, o Festival de Campos do Jordão combina, com excelência, uma programação de música de concerto a um trabalho pedagógico amplo e qualificado. Ao longo de suas 52 edições, o evento, atualmente realizado no Inverno e também no Verão, se consolidou como o maior e mais importante festival de música clássica da América Latina, oferecendo aos bolsistas a vivência com importantes nomes da música nacional e internacional e, paralelamente, uma programação cultural de qualidade, que beneficia não somente a cidade de Campos do Jordão (SP) como todo o seu entorno, ampliando as oportunidades de acesso à música erudita.

REALIZAÇÃO

A 53ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão tem o patrocínio de Sabesp e Instituto Cultural Vale, copatrocínio de Itaú e apoio de Montana Química Ltda., por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e ProAC ICMS. Parceria: ACE Campos e Fritz Dobbert. Promoção: Folha de S.Paulo, 29Horas e Bandvale. Apoio Institucional: Prefeitura de Campos do Jordão. Realização: Fundação Osesp, Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas, Ministério da Cultura e Governo Federal – União e Reconstrução.

AMIGOS DO FESTIVAL

Desde 2013, a Fundação Osesp conta com a colaboração de uma rede de estabelecimentos comerciais da cidade de Campos do Jordão, que contribui para a divulgação de informações sobre a programação de concertos. Esses estabelecimentos recebem um selo que os identifica como Amigos do Festival e mostra engajamento com um dos mais tradicionais projetos culturais da cidade.


| SERVIÇO |

53º Festival de Inverno de Campos do Jordão

Data: 1 a 30 de julho [Módulo Pedagógico: 2 a 30/jul]

Ingressos: Entrada gratuita, com retirada de ingressos neste link a partir de 5 dias antes de cada apresentação, às 10h, limitada a 4 ingressos por pessoa. Haverá distribuição de ingressos remanescentes no dia das apresentações, na bilheteria, 1h antes do início, conforme lotação do espaço.

Locais (Campos do Jordão e São Paulo):

AUDITÓRIO CLAUDIO SANTORO – Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1.880, Alto da Boa Vista, Campos do Jordão, SP. Tel. (12) 3662-2334. 814 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: somente em dias de concerto, a partir de 2h30 antes do início da apresentação.

PARQUE CAPIVARI – R. Eng. Diogo José de Carvalho, 1291, Capivari, Campos do Jordão, SP. 500 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: diariamente, das 9h às 20h.

PALÁCIO BOA VISTA – CAPELA SÃO PEDRO APÓSTOLO
Av. Adhemar Pereira de Barros, 3001, Jardim Dirce, Campos do Jordão, SP. 90 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: de quarta a domingo, das 10h às 12h e das 14h às 17h.

SALA SÃO PAULO – SALA DE CONCERTOS
Praça Júlio Prestes, 16, Térreo, Campos Elíseos, São Paulo, SP. Tel. (11) 3367-9500. 1.484 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 18h.

SALA SÃO PAULO – SALA DO CORO
Praça Júlio Prestes, 16, 2º andar, Campos Elíseos, São Paulo, SP. Tel. (11) 3367-9500. 150 lugares. Gratuito. Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 18h.

Foto Destaque : Laura Manfredini
Orquestra do Festival
Foto interna: Beatriz de Paula
Brasil Jazz Sinfônica no Parque Capivari

Conteúdo Relacionado