fbpx

Meia 92

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Museu da Língua Portuguesa realiza Sarau Hip-Hop no Museu sob comando do rapper Xis

EXP-fachada---Credito-Ciete-Silverio

Mensal e gratuito, evento vai apresentar os quatro elementos do hip-hop, movimento cultural que surgiu há 50 anos nos Estados Unidos e se tornou popular no Brasil a partir da década de 1980, por meio de MCs, Grafiteiros, Breakers e DJs

Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, realiza a primeira edição do Sarau Hip-Hop no Museu no dia 29 de abril (sábado), no Saguão Central da Estação da Luz, das 12h às 14h. O evento, que será realizado mensal e gratuitamente até dezembro, estará sob comando e curadoria do rapper e MC Xis, que pretende trazer artistas dos quatro elementos que compõem a cultura hip-hop: MCs, DJs, Breaking (estilo de dança) e Graffiti.

Rapper e MC Xis

“O público vai encontrar o verdadeiro sentimento da cultura hip-hop. Tudo isto através da dança, do ritmo e da poesia do rap e do graffiti. O microfone vai estar aberto para quem quiser lançar uma rima, haverá também uma roda aberta para movimentos de breaking”, avisa Xis.

Os convidados da primeira edição do Sarau Hip-Hop no Museu serão o MC e beatboxer Jé Versátil, o DJ Pow, o grafiteiro Fabiano Minu e o dançarino de rua Marcelinho Back Spin.

DJ Pow

Um dos fundadores do grupo Central Brasileira do Flow, Jé Versátil já se apresentou com nomes como Criolo e Emicida, além do próprio Xis. Já o DJ Pow é integrante das bandas Império ZO, Fat Family e RZO e saiu vitorioso em batalhas de DJs do programa “Manos e Minas”, da TV Cultura, e também do campeonato Hip-Hop DJ.

Fabiano Minu, presente na cena hip-hop desde a década de 1980, quando pertenceu à primeira geração de bboys – nome dado a quem dança breaking – de Guarulhos e da estação São Bento do Metrô, berço do hip-hop paulistano, vai exibir sua exposição Graffiti nas Jaquetas. Por fim, o produtor cultural e pedagogo Marcelinho Back Spin mostrará a cultura hip-hop por meio da dança que ele pratica desde 1983.

Marcelinho Back Spin

O ano de 2023 é muito importante para a cultura hip-hop. Foi há exatos 50 anos que esta arte surgiu no Bronx, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, revolucionando a moda, a música e o jeito de se comunicar e falar em todo o mundo. No Brasil, chegou nos anos 1980, ganhando corpo e forma primeiro na periferia de São Paulo e, em seguida, no centro da capital paulista: na estação São Bento, MCs, DJs, grafiteiros e bboys e bgirls de vários pontos da cidade se encontravam para trocar fitas cassetes com canções de artistas norte-americanos gravadas e apresentar o que estavam produzindo.

Com o Sarau Hip-Hop no Museu, o Museu da Língua Portuguesa se torna mais um espaço onde a cultura hip-hop será exibida, enaltecida e reverberada. Vale lembrar que, na exposição principal do Museu, o hip-hop já se faz presente por meio do trabalho de GG (Susto), na experiência Rua da Língua, de uma apresentação em vídeo dos Racionais MCs, na linha do tempo Português do Brasil, e de áudio de Rappin’ Hood declamando um trecho de um poema de Gregório de Matos em versão rap, na Praça da Língua.

SERVIÇO
Sarau Hip-Hop no Museu
Dia 29 de abril (sábado), das 12h às 14h
No Saguão Central da Estação da Luz
Grátis

Museu da Língua Portuguesa
Praça da Luz s/n – Luz – São Paulo
R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Grátis para crianças até 7 anos
Grátis aos sábados
Acesso pelo Portão A
Venda de ingressos pela internet: https://bileto.sympla.com.br/event/68203
www.museudalinguaportuguesa.org.br

Fotos: Divulgação

Conteúdo Relacionado