fbpx

Meia 92

sexta-feira, 1 de março de 2024

Suspensão de linha de crédito consignado afeta 400 mil correspondentes bancários no Brasil

Crédito Freepik

A suspensão das linhas de crédito para empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), anunciada pelas grandes instituições bancárias públicas e privadas, já está afetando diretamente os cerca de 400 mil Correspondente Bancários (Corbans) de todo o país. Responsáveis por cerca de 2 milhões de empregos diretos e com as atividades paralisadas, o setor já calcula em pelo menos 50 mil demissões, número que poderá aumentar nos próximos dias, caso a decisão seja mantida.

Os Correspondentes Bancários, como casas lotéricas e empresas especializadas, são agentes credenciados pelas instituições bancárias para exercer o papel de intermediário junto aos aposentados e pensionistas do setor público, com o papel de preencher o formulário de pedido de empréstimo e encaminhá-lo para a aprovação dos bancos. Essa categoria, regulamentada pelo Banco Central (BC) está presente em todo o país, inclusive em cidades e regiões onde as instituições bancárias estão ausentes.

A Associação Brasileira dos Correspondentes Bancários (Abcorban), em fase de implantação, alerta que os trabalhos da categoria estão suspensos desde a última quarta-feira, quando o Conselho Nacional da Previdência Social (CNPS) aprovou a redução da taxa de juros para crédito consignado para 1,70%, levando à suspenção das linhas de crédito.

“O impacto dessa decisão do Conselho é enorme para os aposentados, pensionistas e os Corbans”, afirma Tiago Cintra Maushi, CEO da Smart.inTech e que está à frente da Abcorban. “Os Correspondente Bancários exercem um papel importante em todo o processo e atuam em cidades onde os bancos estão ausentes, recebendo um pequeno percentual por cada cadastro realizado e enviado para análise aprovação”, explica. “Com os serviços suspensos e sem faturamento, a categoria não tem como manter os funcionários”, acrescenta.

Maushi, lembra que os Corbans respondem por 65% dos 14,5 milhões de tomadores de empréstimos, somente do INSS. No Brasil, os aposentados e pensionistas representam entre 15% e 18% de cada município, parcela significativa que ficará sem o empréstimo com a decisão.

Neste domingo, a partir das 10h, os Correspondentes Bancários farão um ato na Capital Paulista para sensibilizar as autoridades sobre os impactos negativos da medida tomada pelo Conselho Nacional da Previdência Social (CNPS), para que possa suspender a redução da taxa de juros. O ato será na rua Barão de Mauá, no Centro de Guarulhos.

Conteúdo Relacionado