fbpx

Meia 92

domingo, 3 de março de 2024

Páscoa: fique atento às perdas em chocolates, carnes e cervejas

R

O varejo em todo o país, especialmente o supermercadista, já vive o aquecimento das vendas, em especial, dos ovos de chocolate, azeite e bacalhau, que devem ser intensificadas a medida que a Sexta-Feira Santa e a Páscoa, respectivamente, 7 e 9 de abril, vão chegando. Ao mesmo tempo, é também o momento oportuno para que os varejistas possam se preparar para combater as perdas do período, que costumam aumentar em até 20%.

Os ovos de chocolate tornam-se grandes atrativos, pois nessa época do ano eles custam até seis vezes mais do que uma barra de chocolate com o mesmo peso líquido. De acordo com o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Getúlio Vargas, o chocolate aumentou 12% nos últimos 12 meses, por isso torna-se um produto atraente aos olhares das pessoas mal-intencionadas e fácil de ser escondido em uma sacola ou bolsa, por exemplo.

Além do chocolate, é preciso também um olhar mais atento às perdas, em especial de bacalhau e azeite, além de carnes nobres, como picanha, alcatra e contra-filé, e bebidas, principalmente a cerveja. Dessa última, um monitoramento assertivo reduz sensivelmente as perdas por múltiplos. “Por isso, aliar soluções tecnológicas com treinamento profissional é a melhor saída para evitar as perdas e aumentar os lucros”, diz Hailton Santos, diretor Comercial da Gunnebo Cash Management (www.gunnebo.com.br).

Dicas de Santos para evitar perdas nas lojas durante a Páscoa:

1.Exponha os ovos de Páscoa, chocolates e bebidas de maneira atrativa, mas protegida. Para isso, podem ser utilizadas soluções de CFTV (monitoramento por câmeras) e EAS (etiquetas e antenas antifurto). Dessa maneira os produtos ficam próximos ao consumidor e protegidos dos furtantes.

2.Oriente sempre os funcionários para redobrarem a atenção em horários de grande movimentação na loja. Aliar soluções tecnológicas com treinamento profissional é a melhor saída para evitar as perdas e aumentar os lucros.

3.Providencie soluções que otimizem o atendimento em momentos de fluxo intenso. Tecnologias voltadas para o monitoramento da frente de caixa (onde ocorrem 40% das perdas internas), e soluções que auxiliem no momento de manusear o dinheiro das vendas, como o cofre inteligente, são essenciais para que a equipe trabalhe mais preparada e tenha mais produtividade. 

Hailton Santos diz que utilização de câmeras de vigilância, sistema de monitoramento do PDV, etiquetas e antenas antifurtos permitem aos gestores de prevenção de perdas e fiscais de segurança serem muito mais assertivos em seus trabalhos, especialmente em abordagens de casos suspeitos. “Utilizadas de forma integrada, conseguimos com elas reduzir sensivelmente as perdas e garantir maior lucratividade às operações dos supermercados”, diz o diretor.

Conteúdo Relacionado