fbpx

Meia 92

sábado, 18 de maio de 2024

Juninho Loes dá dicas de como encarar a transição capilar, resgatar a ancestralidade e a autoestima

Transicao

Liberdade, autoestima, naturalidade e autoconhecimento são os principais motivos para quem decide iniciar a transição capilar. Porém, o momento em que se interrompe o uso da química no cabelo para voltar ao natural, é enfrentado com dificuldades.

Segundo o especialista em cachos e crespos, Juninho Loes, muitas mulheres não possuem memória afetiva de como era o cabelo, por isso quebrar paradigmas, abandonar as químicas alisadoras, aceitar os fios naturais e ressignificar os padrões impostos pela sociedade, é um resgate da ancestralidade e amor-próprio.

“Vejo a transição capilar como uma revolução social e política contra os padrões. O cabelo que foi tratado quimicamente durante muito tempo, por imposição, fica indefinido e sem personalidade. No início os fios naturais não terão uma estrutura determinada, ter que conviver com as deformas, se relacionar com o surgimento de curvaturas e aceitar o novo efeito é um processo árduo, mas é libertador”, diz Juninho.

Para proporcionar uma atmosfera de confiança e acolhimento, durante esse processo que muitas vezes desiquilibra o emocional, Loes une técnicas e tratamentos com a combinação de alguns cronogramas capilares, utilizando ativos de fora para dentro da fibra, para solidificar a estrutura do cabelo com química e introduzir os cuidados específicos ao cabelo natural, beneficiando o convívio da mulher com a transição.

Outra estratégia é a utilização dos cortes, como o Big Chop, para retirar totalmente a parte química ou mudar o estilo e ter mais movimento, incorporando a ideia natural do cabelo cacheado ou crespo.

Loes explica que para cada curvatura e estrutura de cabelo existe um cronograma. Entre o crespo, cacheado e ondulado é mapeado o PH, a carga lipídica, hídrica e proteica.  Uma dica do especialista durante a transição, é evitar secador, chapinha, contato com a água do mar e piscina, e mudar o mapa dos produtos habituais.

Importante utilizar produtos específicos para essa nova etapa, com PH mais baixo, shampoos com menos adstringência, hidratantes e condicionantes, condicionadores e máscaras com o mesmo objetivo na escala do PH e do potencial de hidrogênio, ativadores de cachos com proteção térmica, carga lipídica maior e formas moleculares mais densas.

Conteúdo Relacionado