fbpx

Meia 92

sexta-feira, 14 de junho de 2024

Filmes indicados ao Oscar lucraram nas bilheterias

281E349B-D953-45A0-BC90-D71A6914790C

No último domingo (12), o mundo do cinematográfico estava todo voltado para a maior premiação do cinema, o Oscar. Uma das peculiaridades do Oscar deste ano é que os três filmes indicados na categoria Melhor Filme foram recordistas em bilheterias.

“Avatar: O caminho da Água” e “Top Gun: Maverick” estão na lista dos que mais arrecadaram em bilheterias em 2022, o primeiro com US$ 2,27 bilhões (R$ 11,80 bilhões) e o segundo com US$ 1,49 bilhão (R$ 7,75 bilhões).

Não é de se surpreender que “Avatar: O caminho da Água” está entre os que mais arrecadaram em 2022, o diretor James Cameron é conhecido por produções de sucesso em bilheterias, como foi o caso de “Avatar 1” e “Titanic”.

Outro indicado a Melhor Filme que está no ranking de maior bilheteria em 2022 foi “Elvis”. A produção, dirigida por Baz Luhrmann com Austin Butler, conta a trajetória do ícone do rock Elvis Presley e chegou a arrecadar US$ 287 milhões, o equivalente a R$ 1,49 bilhão.

Além disso, há outra grande produção, Pantera Negra: Wakanda Para Sempre, mesmo não sendo indicado na categoria Melhor Filme, o longa recebeu cinco indicações e apareceu em sexto lugar na lista dos filmes de maior bilheteria em todo o mundo

Essa mudança nas indicações dos filmes demonstra uma preocupação da Academia quanto a relevância da cerimônia do Oscar. Pela primeira vez, a premiação teve três filmes recordistas em bilheterias indicados, o que pode ajudar a alavancar a audiência da cerimônia.

Para os especialistas, a indicação desses sucessos em bilheterias poderá ajudar a recuperar a popularidade na audiência da premiação, que sofreu uma drástica queda entre 2017 e 2022, caiu de 32,9 bilhões de expectadores para 16,6 milhões no ano passado. “Teoricamente, quanto maior a bilheteria geral bruta para o grupo coletivo de indicados a Melhor Filme, maior o interesse em ver a transmissão. Eu acho que isso é verdade”, comentou Paul Dergarabedian, analista sênior de mídia da comScore à Forbes.

 

Conteúdo Relacionado