fbpx

Meia 92

sábado, 24 de fevereiro de 2024

Como escolher o exercício ideal para quem já passou dos 60 anos

cre-#769dito-freepik-

A atividade física é fundamental e faz bem para a saúde de todos, principalmente na terceira idade. No Brasil, de acordo com o IBGE, a expectativa de vida subiu para 75,8 anos e para se manter saudável e ativo nessa idade é imprescindível se cuidar. A coordenadora técnica da Home Angels, rede de cuidadores de pessoas supervisionadas, Janaína Rosa, afirma que para a escolha correta da atividade física é imprescindível uma avaliação física. “A avaliação deve ser feita por um especialista, que é preparado para identificar condições clínicas que podem interferir na segurança e desempenho desse idoso, como complicações cardiovasculares, por exemplo”, destaca.

Segundo as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) para atividade física e comportamento sedentário, idosos devem realizar:

  • 150 a 300 minutos de atividade física aeróbica de moderada intensidade;
  • 75 a 150 minutos de atividade física aeróbica de vigorosa intensidade;
  • combinação equivalente de atividades físicas de moderada e vigorosa intensidade

A prática é recomendada para ser realizada ao longo da semana para benefícios substanciais à saúde. “Também é interessante promover exercícios que os agrade e enquadre-se nas potencialidades e limitações físicas apresentadas. Os preferidos dos idosos são caminhadas, musculação, dança, pilates e hidroginástica. Além disso, é importante que o profissional repasse as orientações aos familiares ou cuidadores, para que alguns cuidados, como postura e intensidade do exercício, por exemplo, sejam mantidos”, completa Janaína.

Aliada aos exercícios, a alimentação equilibrada e adequada para a faixa etária também é necessária para auxiliar na qualidade de vida. “O que comemos impacta diretamente no bom funcionamento do organismo, principalmente na terceira idade, quando os alimentos auxiliam na diminuição dos danos causados pelo processo de envelhecimento, como dano muscular, perda de equilíbrio, agilidade e resistência”, afirma a coordenadora.

Conteúdo Relacionado