fbpx

Meia 92

sexta-feira, 1 de março de 2024

Temporais podem se repetir em São Paulo e no Rio nesta quarta

Kevin David_A7 Press_Agencia O Globo

Esta terça-feira (7) foi caótica para os moradores da região metropolitana de São Paulo e de todo o estado do Rio de Janeiro. As fortes chuvas provocaram alagamentos e prejudicaram o transporte público. Uma criança morreu na capital fluminense e duas pessoas foram levadas pela enxurrada na capital paulista e em Osasco.

E o cenário pode ser repetir nesta quarta (8). De acordo com boletim do Inmet (Instituto Nacional de Metereologia), o alerta para temporais permanecerá até o início da noite desta quarta em uma faixa que engloba leste de São Paulo, sul de Minas Gerais e todo o estado do Rio de Janeiro.

Em São Paulo, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergência), há condições para mais temporais nesta quarta-feira porque linhas de instabilidade se formarão, em decorrência da combinação do calor com a umidade proveniente do oceano.

“Essas precipitações ocorrerão em forma de pancadas de chuva, com momentos de temporais, seguidas por raios, vento e granizo”, afirmou o CGE.

O órgão da prefeitura recomenda que as pessoas mantenham atenção em áreas mais vulneráveis, pois haverá risco para transtornos principalmente em áreas mais vulneráveis.

O maior volume de chuva esperado não é na capital paulista, que deve ter 70 mm de precipitação. De acordo com o CGE, na região do Vale do Ribeira e de Itapeva, o acumulado pode atingir 150 mm.

Na sequência, a região de Campinas, a de Sorocaba e o Vale do Paraíba devem ter acumulado de até 125 mm. Já na serra da Mantiqueira e litoral norte, pode chover até 90 mm. Para a Baixada Santista, o acumulado previsto é de de 85 mm.

A média esperada para fevereiro só na capital, de acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), é de 246,2 mm.

No Rio, a previsão é de pancadas de chuva até o período da tarde. À noite, ainda pode chover, mais com menos intensidade e de forma isolada.

Com a possibilidade de temporais, os moradores das áreas de risco precisam ficar atentos aos alertas sonoros. O acionamento das sirenes indica perigo de deslizamento, e as pessoas devem se deslocar para os pontos de apoio estabelecidos pela Defesa Civil. Somente nesta terça, foram acionadas 113 sirenes na cidade.

Fonte: Folha de S. Paulo

Conteúdo Relacionado