fbpx

Meia 92

sábado, 18 de maio de 2024

Mercado da construção civil deve crescer 2,5% este ano

Crédito Freepik (4)

Após os impactos da pandemia de Covid 19 na cadeia produtiva, o mercado da construção civil voltou a viver um cenário positivo e segue em expansão na economia. Em outubro do ano passado, a CNI (Confederação Nacional da Indústria) e o SindusCon-SP (Sindicato da Construção) já projetavam alta de 7% e 6,1% do setor no ano, respectivamente, acima do percentual previsto para o crescimento do país, de 2,7%, segundo Pesquisa Focus. 

Para este ano, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) prevê crescimento de 2,5%, considerando o ciclo de negócios do mercado imobiliário em andamento e a demanda habitacional mais sólida em relação aos últimos anos. Com a expectativa positiva, especialistas indicam que o setor deve apostar em novas tecnologias, visando deixar as construções mais sustentáveis. 

Nos últimos anos, o tema: “Sustentabilidade na construção civil” tem se tornado pauta dentro das construtoras. Além de contribuírem com o meio ambiente, as inovações tecnológicas que começam a ser empregadas reduzem custos da obra, tornando o projeto mais viável, e podendo ser fator decisivo para alguns clientes. Os projetos com certificação de sustentabilidade tendem a ser melhor vistos e projetam a empresa para uma economia mais rentável. 

Dentre esses avanços tecnológicos, pode-se citar como destaque: a impressão 3D, inteligência artificial, drones, internet das coisas (IOT), tijolos ecológicos, realidade aumentada, modelagem de informação da construção (BIM) e lean construction (construção enxuta). Ferramentas em processo de aceitação que possuem potencial para transformar o comportamento do mercado imobiliário e da construção civil.

Tubulações 

As construtoras têm buscado, também, tubulações mais sustentáveis. Com o crescente número de novas construções nas metrópoles globais, é importante estar atento aos materiais mais eficientes e seguros para garantir a integridade dos sistemas hidráulicos.  

Alexandre Prado, Diretor de Negócios da Lubrizol, empresa fornecedora de produtos químicos especiais para os mercados de transporte, indústria e consumo, destaca a importância de buscar produtos certificados e de alta qualidade. “A segurança e a sustentabilidade devem ser os requisitos mais importantes na escolha do sistema de tubulações. Materiais mais resistentes e certificados apresentam maior resistência, reduzindo as chances de fissuras durante e após a instalação dos tubos, reduzindo também as chances de acidentes estruturais e a necessidade de substituição. Com isso, reduz-se a quantidade de resíduos a médio e longo prazo”, reforça. 

Alexandre explica que a Lubrizol trabalha com três marcas certificadas internacionalmente para o fornecimento de tubos produzidos com o material polivinil clorado (CPVC), da mesma família do cloreto de polivinil (PVC). A empresa é a criadora do composto, considerado atualmente uma solução de ponta para tubos e conexões, sendo o mais adequado para instalações hidráulicas, principalmente de edifícios mais altos, que demandam materiais mais resistentes. As linhas oferecidas pela companhia são comercializadas mundialmente e cumprem as mais exigentes regulamentações nacionais e internacionais que comprovam a resistência, eficiência e segurança dos produtos.

 

 

Conteúdo Relacionado