fbpx

Meia 92

segunda-feira, 20 de maio de 2024

Cibersegurança evolui e fornece soluções contra casos de roubo de identidade

Freepik

Com o intuito de levar rentabilidade ao Twitter ao disponibilizar a compra do selo azul de autenticação por US$ 8, Elon Musk volta atrás em sua decisão e repensa estratégia após inúmeros casos de roubo de identidade e ataques cibernéticos. 

Por meio da evolução da Inteligência Artificial (IA) e do uso fraudulento da tecnologia, esse e outros casos de roubo de identidade ganharam força ao redor do mundo e prejudicam um sistema que anteriormente dava aos usuários a segurança de saber que seus dados estavam em segurança com entidades e empresas no ambiente digital. De acordo com o Relatório Global de Identidade e Fraude 2022, 64% dos brasileiros disseram já terem sido vítimas de algum tipo de fraude online, conhecem alguém que foi vítima, ou ambos. 

Ainda segundo a pesquisa, mais de 70% das empresas dizem que a prevenção à fraude é sua principal preocupação, dado o que pode causar em suas operações comerciais, reputação e economia — esse número nunca foi tão alto. Segundo Sebastian Stranieri, fundador e CEO da VU – quatro vezes eleita Partner do Ano da Microsoft (2019, 2020, 2021 e 2022) e única empresa na América Latina a trabalhar com a tecnologia da Microsoft Entra Verified ID – “ao ser vítima desse tipo de ciberataque, muitas vezes as pessoas são instigadas a compartilhar dados pessoais que representam alto risco. Por exemplo, alguém pode se passar por outra pessoa e compartilhar dados pessoais que fazem com que uma empresa ache que realmente está falando com o seu cliente”, explica.

Identidade Soberana como ferramenta de segurança

Os ciberataques têm causado grande receio à população. O Relatório Digital Trends Report 2021 revela que 86% das pessoas querem mais transparência sobre como suas informações são usadas pelas empresas. A implementação tecnológica de Identidade Soberana (SSI) em junção com a verificação de identidade e autenticação de dois fatores presente no Microsoft ENTRA oferece às pessoas e organizações maior controle sobre suas informações confidenciais ao possibilitar uma camada extra de proteção e evitar que dados sensíveis e confidenciais sejam roubados. 

“A combinação de ambas tecnologias gera acesso a aplicativos, dispositivos e provedores de serviços com um maior grau de confiança e segurança, permitindo ao usuário aceitar ou rejeitar atributos que posteriormente poderiam ser relacionados ao uso incorreto dos dados pessoais por meio de casos como os ocorridos no Twitter”, conclui Stranieri.

Conteúdo Relacionado