fbpx

Meia 92

sábado, 18 de maio de 2024

Atletas se beneficiam ao deixar de consumir refrigerantes, diz nutricionista

bbffb77f-526b-47e8-ac50-83f3894b0c8c

O refrigerante é uma bebida adorada por grande parte da população mundial. Ele pode ser um refresco nos dias mais quentes, um ótimo acompanhamento para as refeições ou até mesmo um brinde com os amigos.

Entretanto, os atletas do clube Paris Saint-German foram proibidos de ingerir a bebida durante as refeições. Essa medida foi adotada pelo novo nutricionista do clube.

Apesar de drástica, a decisão de suspender o consumo de refrigerantes e chás durante as refeições do elenco do time tem por objetivo a prevenção do desenvolvimento do câncer e de doenças cardíacas e o aumento da performance dos membros do clube durante os jogos.

A pergunta é: como a suspensão do consumo de refrigerantes pode ajudar a melhorar o desempenho de um atleta?

É fundamental que um profissional do esporte cuide da sua alimentação para manter o bom funcionamento corporal durante as competições. Por isso, é muito importante  consumir alimentos ricos em vitaminas e que forneçam energia para o corpo. A nutricionista e educadora física Dani Borges enxerga a decisão do nutricionista do clube como benéfica para a saúde e desempenho dos atletas.

“O consumo dessas bebidas, dependendo do horário e a quantidade que os jogadores as consomem, faz com que a performance desses atletas seja prejudicada durante as partidas e treinos. Dessa forma, eles podem alcançar o cansaço e a fadiga mais facilmente”, explica.

A nutricionista ainda ressalta a importância que essa medida tem em diminuir problemas de saúde em longo prazo. Segundo um relatório publicado na revista médica americana “The Lancet”, foi apontado que somente uma lata de Coca-Cola de 330ml contém o equivalente a sete colheres de chá (35g) de açúcar. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o consumo diário de açúcar não exceda os 50g.

Esse excesso pode acarretar no desenvolvimento de doenças cardíacas ou diabetes, por exemplo. Além disso, a bebida contém uma substância na sua composição que é conhecida cientificamente como 4-metil-imidazol. Essa substância, quando consumida em doses maiores, pode contribuir para o desenvolvimento do câncer.

Contudo, a profissional alerta que a suspensão drástica da ingestão de chás e refrigerantes pode afetar negativamente aqueles atletas que sentem prazer psicológico ao consumirem essas bebidas.

Com isso, ela recomenda que esses jogadores tenham não só o acompanhamento de um nutricionista, mas também de um psicólogo, o qual avaliará e acompanhará as consequências mentais trazidas pelo corte da bebida na dieta dos atletas.

Fonte: fonte: TNT SPORTS

Conteúdo Relacionado