fbpx

Meia 92

terça-feira, 25 de junho de 2024

Richarlison é vítima de ataque cibernético

Crédito Metropolis

O atacante camisa sete da seleção brasileira teve a infelicidade de ter o seu site hackeado por eleitores bolsonaristas. A invasão cibernética aconteceu na noite da última terça-feira (12), quando todo o conteúdo da página foi substituído por um gif do atual presidente Jair Bolsonaro gesticulando uma arma com as mãos.

Na ocasião, além de terem inserido um gif do chefe do executivo, os invasores fizeram questão de deixar uma mensagem para o jogador. O recado dizia: “Até 2026. Te amamos, Richarlison”. A publicação indesejada no site do atacante ainda contava com um link no qual redirecionava o usuário para duas contas no Twitter. Segundo a declaração da Polícia Civil, ambos os perfis já estão sendo investigados.

Em seu site, Richarlison costuma publicar conteúdos como: a sua biografia; os atos da sua carreira; aspectos da sua vida pessoal e novidades das quais o usuário pode ter acesso em primeira mão. Desde o momento do ataque, a página do atleta se encontra desabilitada.

A invasão ocorreu por um viés político, trazendo ao site uma alusão de que Bolsonaro retornaria ao poder no ano de 2026 – que coincidentemente, será o ano da próxima edição da Copa do Mundo. Mesmo antes do evento esportivo ter o seu início, Richarlison já vinha criticando a medida dos eleitores bolsonaristas em usarem a camisa da seleção brasileira para representar um partido político.

“Hoje em dia, o pessoal leva muito (a camisa) para o lado político. Isso faz a gente perder a identidade da camisa e da bandeira amarela. Acho importante que eu como jogador, torcedor e brasileiro, tente levar essa identificação para todo o mundo. É importante reconhecer que a gente é brasileiro, tem sangue brasileiro e levar isso para o mundo”, disse o atacante em uma entrevista ao Jornal da Globo.

Um dos motivos mais plausíveis que podem explicar essa ação contra Richarlison é que, por muita das vezes, o jogador vinha se mostrando bastante ativista em ações que eram “contrárias” aos valores do governo de Jair Bolsonaro. A exemplo disso, o atleta defendia – nas suas redes socias – a restrição das medidas de isolamento social e o incentivo às aplicações das vacinas contra a Covid-19.

Conteúdo Relacionado